O Cacique e o Dia da Terra.


Hoje, dia 22/04, é celebrado o Dia Internacional da Mãe Terra. A data foi criada pela ONU para marcar a responsabilidade coletiva de todos para promover a harmonia com a natureza bem como um modo de vida mais sustentável, respeitando esse bem finito.

Os hippies americanos já haviam tentado promover uma data como esta lá no idos anos de 1970, mas a rivalidade com os carros altamente poluidores e o excesso no consumo não fez a   data vingar. Bem, nada muito distinto do que ocorre hoje. Apesar dos esforços de ambientalistas e de algumas vozes solitárias dentro de governos, a pauta ambiental ainda está longe de ser uma das prioridades. Mesmo com os efeitos do aquecimento global já sendo bem visíveis ainda estamos muito longe de uma vida sustentável - se é que chegaremos a tê-la algum dia. 

[CRÍTICA] filme, Life In A Day


Imagine a bagunça que é, reunir vários vídeos - curtos, de média duração e longos - sobre o cotidiano das pessoas e colocá-los todos em um só. Pense na bagunça que não seria, certo? Pois bem, foi isso que uma equipe de 16 diretores - encabeçados por Ridley Scott (Alien, Gladiador, Perdido em Marte) e  Kevin Macdonald (O Último Rei da Escócia) -  resolveu fazer no ano de 2010. Mais precisamente no dia 24 de julho. A equipe pediu que pessoas de todas às partes do mundo enviassem vídeos delas mostrando seu cotidiano no dia referido pra montagem desse documentário - leia-se, obra de arte.

Sobre eu mesmo...


"A introspecção é o espelho
mais valioso que existe"
(Nelio Urias)

São três e alguma coisa da madrugada e como morpheus ainda não veio me visitar, pensei em escrever alguma coisa. Mas, sobre o que escrever? Sim, sim. Tem muita coisa que pode ser dita, afinal, vivemos momentos conturbados na nossa politica e qualquer texto que cite Lula, Dilma, Cunha, Temer, Moro e afins, renderia algumas visualizações (e muitos xingamentos). Mas não, não estou com muito ânimo pra discorrer sobre esse tema - fica pra uma próxima. Por hora hei de me concentrar sobre a ideia que fazemos de nós. 

[CONTO] Maria Queria Uma Rosa!

"...Ah, mas o que podemos levar
para aquele outro reino? Não a arte de olhar,
que se aprende muito devagar, nem o que aqui aconteceu. Nada.
Os sofrimentos, então. E, acima de tudo, o peso,
e a longa experiência do amor - justo o que é absolutamente indizível"
(de A Non Elegia de Duíno -
Rainer Maria Rilke)



Maria queria uma rosa.

Olhando assim, parece algo simples: é só uma rosa! Mas para Maria, às coisas não eram assim, tão simples. Quando criança, brincava, de pés descalços no chão de terra batida. Mas não era assim, só brincadeira. Seu tempo de brincadeira era curto. Era entremeado entre o auxílio à mãe na limpeza da Casa Grande e as fugas das investidas do patrão.