Balanço de leituras (fim de ano)



Olá pessoas!

Como de praxe, ao fim de cada ano, sempre temos a impressão de que o ano passou rápido demais. Num momento estamos no começo do ano com planos metas e projetos e no estante seguinte nos deparamos com o fim desse mesmo ano contabilizando tudo o que foi feito (ou que não feito) no decorrer desses 365 dias.

A bem da verdade, quando olho os inúmeros fatos que sucederam-se este ano, digo-vos que, da minha parte, achei que o ano foi bem longo, com determinados momentos ele se arrastando feito um caramujo. Se olharmos pra nossa politica e a profusão de escândalos que tomaram de assalto nossos noticiários, da uma impressão que décadas se passaram.

[RESENHA] Em busca de sentido, de Viktor E. Frankl


Qual seu objetivo ao levantar toda manhã e ir para o serviço e ter de aturar seu chefe burro, os amigos chatos e o salário miúdo? Que sentido há na sua existência em suportar um companheiro que no momento não lhe satisfaz? E, mais extremo ainda, se você se encontra com alguma debilidade extrema – doenças, dividas, ou alguma forma de transtorno – porque continuar seguindo o roteiro e continuar vivendo? Enfim, qual o sentido da sua vida? Baseado nas experiências que viveu in loco em Auschwitz, o psiquiatra Viktor E. Frankl narra toda sua odisseia de tristeza e miséria humana que culminaram na idealização e concepção de uma linha de psicoterapia, a Logoterapia, que busca o sentido da vida.

[RESENHA] Hell House - A Casa Infernal, de Richard Matheson



Histórias de casas mal-assombradas não são novidade na literatura. Hell House usa deste tema muito enraizado na cultura popular pra destilar o horror de forma ímpar. Desde o início é notável a áurea de mistério que habita aquele imóvel. Junte-se a isso um enredo que mescla o sobrenatural com o cientifico lembrando, em alguns momentos, o debate interno do Padre Merrin e sua busca por saber se a menina está possuída ou não e o uso de Aleister Crowley, um dos nomes mais importantes dentro do misticismo dos últimos tempos para usar como base para compor um vilão extremamente poderoso, doentio e sedento por sangue. O resultado só poderia ser ótimo. 

[LAPSOS] são possibilidades



Alguém que foi muito próximo a mim me perguntou a Éons atrás o seguinte: “Ricardo, você que é Ateu, o que é um erro, o que pensa sobre religião. Acha que é tudo mentira?”

Na época (isso faz uns dez anos) não soube responder a pergunta de forma satisfatória. Apesar de naquela época, ser um pseudoateu, alguns fenômenos me deixavam com uma sensação de que havia algo além de tudo isso. Na época estudei muito sobre o tema, mas ainda assim não cheguei à conclusão nenhuma.

Kategori

Kategori